Perguntas frequentes


As atividades de auditoria visam uma revisão das demonstrações financeiras, sistema financeiro, registros, transações e operações de uma entidade ou de um projeto, com a finalidade de assegurar a fidelidade dos registros e proporcionar credibilidade às demonstrações financeiras e outros relatórios da administração, podendo propor critérios e recomendações para melhorá-los.

A auditoria tanto na área pública quanto na área privada é uma especificidade da área contábil, cujo propósito primordial é atestar a validade de determinado dado, a detecção das disfunções do patrimônio, em decorrência de falhas na administração testando  a eficiência e eficácia do controle patrimonial.

As atividades dessa Controladoria tem como escopo de trabalho propor critérios de controles administrativos, monitorar o cumprimento das determinações legais e normas administrativas, realizar verificações nos processos de gestão de operações, avaliar a integridade e segurança das operações e verificar a regularidade das atividades desenvolvidas pelas unidades do CPS, realizando estudo e propondo medidas de padronização de procedimentos, prestando informações aos órgãos de cúpula da Autarquia bem como aos  órgãos de controle externo.

Assim, podemos concluir que as atividades de auditoria têm como função revisar processos, enquanto a Controladoria interna busca padronizar os procedimentos de acordo com as determinações legais e administrativas.

A palavra mitigar significa atenuar, abrandar. Já a palavra risco está atrelada à incerteza de que algo aconteça. Quando falamos em mitigação de riscos operacionais, estamos nos referindo, portanto, à atenuação dos impactos que uma falha processual pode trazer para a Autarquia. Aí podemos incluir a falta de segurança da informação, erros, irregularidades e fraudes. Todos esses riscos trazem prejuízos (tanto financeiros quanto de reputação) à Autarquia.

Essa Portaria é o ato normativo com a finalidade de instituir normas e procedimentos de monitoramento das recomendações expedidas pela Controladoria Interna do CPS.

É a comunicação estabelecida entre a Controladoria Interna e os demais órgãos do serviço público, entes privados ou pessoas externas ao CPS. É utilizado no procedimento de troca de informações ou documentos de interesse comum das partes.

É a comunicação eminentemente interna estabelecida entre a Controladoria Interna e as unidades administrativas do CPS, de níveis hierárquicos iguais ou distintos.

É o ato pelo qual a Controladoria Interna manifesta suas decisões finais ou intermediárias, sobre a matéria submetida a sua apreciação.

É o instrumento de gestão utilizado para planejar e acompanhar as ações corretivas visando a implementação das recomendações da Controladoria Interna. A sua elaboração é de responsabilidade do gestor da área ou unidade controlada.

É o documento pelo qual a Controladoria Interna evidenciará a evolução da implementação das recomendações e melhorias durante a fase de monitoramento, observando sempre o cronograma estipulado no Plano de Providências.

É o documento de responsabilidade da Controladoria Interna contendo informações sobre os resultados obtidos durante a fase de monitoramento e implementação das recomendações e melhorias.

É a definição dos trabalhos que serão executados pela Controladoria Interna. Agrega-se ao referido Programa, o planejamento das atividades que terão como foco o controle preventivo e corretivo dos atos e processos de gestão definidos como prioritários, em decorrência de critérios fundamentados no grau de materialidade, relevância e risco.

É o documento que credencia os representantes da Controladoria Interna perante as unidades administrativas e de ensino do CPS, permitindo-lhes livre acesso a todas as dependências e a quaisquer documentos e informações necessárias para realização dos trabalhos de controle.

É a análise conclusiva realizada pela Controladoria Interna durante o desenvolvimento das atividades de controle, bem como sobre matéria submetida a sua apreciação, expressando a opinião técnica levando-se em conta os princípios norteadores da sua atuação.

É o documento de análise objetiva da Controladoria Interna. Tem como propósito constatar ou avaliar situações e fatos, bem como, a implementação e o funcionamento do sistema de controle das unidades administrativas e de ensino do CPS, dando conta de eventuais irregularidades, desvios ou fraudes.

É o documento subscrito pelos envolvidos que registra, resumidamente, os acontecimentos, os assuntos debatidos e as decisões durante uma reunião.

Consiste na exposição escrita, minuciosa e circunstanciada relativa a um assunto ou fato ocorrido. Tem a finalidade de registrar as ações desenvolvidas ou em desenvolvimento pela Controladoria Interna durante as atividades de controle.

É o documento da Controladoria Interna que comunica os critérios e os procedimentos que orientaram os trabalhos realizados, as constatações e os resultados obtidos e as medidas que devem ser adotadas para solucionar as situações incondizentes e indesejadas encontradas durante a atividade de controle.

É o documento de responsabilidade da Controladoria Interna, contendo informações sobre os resultados obtidos durante a fase de monitoramento e implementação das recomendações e melhorias.

É o demonstrativo das conclusões de exames efetuados, das recomendações de melhorias implementadas ou em implementação, dos cronogramas de saneamento das falhas, inconsistências e riscos, das ações e providências adotadas pelas unidades controladas durante a fase de monitoramento e os benefícios auferidos por conta da atividade ou sistema de controle.

É o instrumento de apresentação das ações de controle interno realizadas no exercício, contendo relatos das atividades executadas diante das ações planejadas no Programa Anual, bem como, as ações não planejadas, mas que exigiram atuação da assessoria de controle.